sábado, 13 de junho de 2009

VIAGENS ÀS FRONTEIRAS DO UNIVERSO
(Xiko Mendes, Cadeira VI)

Se algum dia sonhei com
O impossível, acreditem:
Foi porque quis
Beijar as estrelas,
Seduzir as flores,
Assustar o vento,
Passar as mãos na
Superfície dos céus...
E ainda não desisti, porque
Tenho apenas um sonho:
O de abraçar o Infinito!!!

Antes que tudo nos pareça
Se aproximar do fim;
Que as estrelas sejam sugadas
Por buracos negros;
Que as flores murchem;
Antes que Acabe a primavera;
Que o vento leve o último desejo de mim,
Que os céus desabem
Sobre o teto da minha existência;
Meu percurso em torno do Infinito
Ainda será menor que a distância
Entre as reações de um pessimista
E a Minha Esperança!!!

O AMOR
(Vanilson Reis, Cadeira XII)

O amor é uma ilusão eterna
Que produz angústia
Em nosso peito
Dado como consolação
Aos homens desesperados.


Quando o amor tece sonhos
A gente se completa
Veste a alma com palavras
Amamento o sentimento.

Ninguém vive a ternura do amor
Porque ele não existe para
Sempre.
Ah! Se existisse, meu Deus...
E tudo fosse diferente.

Um dia o mundo mudará
E as pessoas se tornarão
Cativas do amor.
E o homem que não mente
Aclamará suas emoções
Nos olhos da mulher.


SILÊNCIO
(Lourdes Silva, Cadeira XIV)

Fecha os olhos e solta o pensamento
Na amplidão dos sonhos coloridos,
Deixa-o voar com o tocar do vento
Trazendo um carinho terno em teus ouvidos.


Medita em mil prazeres
Escondidos no silêncio e na emoção,
No sussurrar terno dos amores
Sossega o bater do coração.

Silêncio é o suspirar da alma
Nos momentos belos da saudade,
Quando devagar, bem de mansinho
A mensagem do amor invade.

É hora de falar com Deus,
Ouvir os anjos do Senhor,
Entrar num mundo novo
Ao toque sublime do amor...

Um comentário:

Anônimo disse...

mon buenos