sexta-feira, 2 de abril de 2010

POEMAS SOBRE FORMOSO MG

Contato com Formoso por meio de Radioamador
(Diálogo imaginário entre Vevé Santana e Geraldo Édson T. Ornelas, anos 1960/1970).

Xiko Mendes
(Homenagem aos “Prefeitos Sofredores” Vande e Osvaldo Ornelas)

Câmbio...
Estradas intransitáveis,
Pontes de madeira caíram!
Positivo!
Alô!
Câmbio...
Como recolher dinheiro da Coletoria?
Só se chega de avião.
Enchentes mataram dez!
Positivo!
Alô!
Câmbio...
Prefeito viajou há um mês
Em lombo de mula.
Volta não sei quando.
Positivo!
Alô!
Câmbio...
Um carro disponível pra meu retorno.
Só se for de boi.
Positivo!
Alô!
Câmbio...
Relâmpago! Trovão! Trovão!
(Cortou o sinal).
Alô! Alô! Alô!
(......................).

Transformar Formoso!

Xiko Mendes

MOBILIZAR O POVO...
É torná-lo CONSCIENTE!
Transformar Formoso
É deixá-lo DIFERENTE!
Vamos construir um projeto novo
Em benefício da nossa Gente?

MOBILIZAR O POVO...
É fazê-lo andar pra frente!
Transformar Formoso
Com ÉTICA e DIFERENTE
Exige um PROJETO NOVO,
Democrático e INTELIGENTE!

MOBILIZAR O POVO...
É ter Governo Transparente!
É hora de repensar Formoso
Com lideranças eficientes!
Queremos um Projeto Novo!
Isso é bom pra nossa Gente!

MOBILIZAR O POVO...
Será uma missão permanente!
Transformar Formoso
É nosso compromisso sempre!
Queremos União e apoio de todos
Por um FORMOSO DIFERENTE!

Juramento
(Meu Amor à Terra Natal é Maior que o Mundo!).

Xiko Mendes
Faço tudo pela Minha Cidade:
Ontem, hoje, amanhã e sempre!
Reencontro-me com a Felicidade
Me vendo em sua defesa permanente.
Observando e vivendo sua Realidade,
Sou seu Filho e defensor de sua Gente
Ousada que não se entrega à dificuldade!
Me vejo como seu Soldado Combatente
Garantindo o sucesso à sua Posteridade!

Em busca de um lugar: Formoso!

Xiko Mendes

Busco dentro de mim...
Um lugar cuja imagem é
Aquela que eternizei em minha infância:
Uma casa perdida no sertão interior,
Feita de pau-a-pique com um pomar ao fundo,
E todos dormindo em cama de vara.
Busco dentro de mim...
Um lugar que se congelou no retrato da parede:
Uma cidade onde todos eram parentes ou amigos,
A maioria vivia “catirando” bezerro na esquina,
Tropeiros circulavam na Rua do Comércio,
Mulheres cantarolavam lavando roupa na Barroca,
Meninas lindas pousavam corpos nas pedras das Lajes,
Cavaleiros andantes pela Avenida Castelo Branco,
Carros-de-boi iam e voltavam com sua cantilena inesquecível...
Em um tempo onde homem e natureza viviam em harmonia.
Busco dentro de mim...
O cheiro de terra molhada e de curral cheio de gado
No meio dessas chapadas de Cerrado
Hoje engolido por máquinas agrícolas.
Busco dentro de mim...
Seu Maroto e o jeguinho desfilando em noites de aleluia,
Sanu Cebo com seus versos satíricos,
O povo correndo, surpreso, para ver avião no campo de pouso.
Busco dentro de mim...
A nascente da Grota Barroca que hoje foi assassinada
Por políticos insensíveis às dores da fauna e flora.
Busco dentro de mim...
Minha Grota Barreiro que morre intoxicada pelo lixão,
E o saci-pererê que hoje não espanta mais ninguém.
Busco dentro de mim...
Dona Ana com suas aulas magistrais e
Seu Florípio vestido de terno e gravata em pleno calor de verão.
Busco dentro de mim...
As memoráveis Festas do Divino com aquela multidão imensa
Em passeata pelas ruelas para a coroação do novo imperador.
Busco dentro de mim...
Um lugar FORMOSO,
Que agoniza em meu silêncio perpétuo,
Emudece na omissão cúmplice dos governantes,
Evapora-se com o crescimento da cidadezinha,
E some junto com o vento que sopra, suave,
Em cima daqueles jatobás velhos da Praça Felipe Tavares
Onde essa “história bicentenária” começou.
Busco dentro de mim...
Um lugar FORMOSO que imortalizou-se como belo
Dentro da minha idílica existência
Cujas lembranças estão sendo sequestradas
Em cada canto desse município que decreta a morte das horas
Em noites que se tornam inseguras,
E em dias sem significados para a vida.
Devolvam-me o lugar FORMOSO de outrora!!!


Formoso em 1980... (Mutações)

Xiko Mendes
(Homenagem à inauguração dos correios, primeira agência bancária e de telefone há 30 anos, chegada da TV há 25 anos, e fundação da Coopertinga, há 20 anos).

O Tempo faz o parto da História.
Mas só o homem pode
Transformá-lo em efemérides,
Pois são as grandes mudanças que
Produzem os fatos relevantes.
E o tempo pariu Formoso
Pela segunda vez na década de 1980.
Antes éramos pecuaristas;
Mas trocamos a vaca e a roça
Pelas lavouras de chapada (agronegócio).
Antes éramos tropeiros e cavaleiros;
Mas os substituímos pelo motorista automotivo.
Antes transportávamos tudo em burro e carro de boi;
Mas os trocamos por caminhão e ônibus.
Antes tínhamos o radioamador de Geraldo Édson;
Mas inauguramos telefone em 15/10/80.
Antes éramos uma cidade que
Acabava na Avenida Castelo Branco.
Hoje a cidade sobe o Morro do Barreiro.
Antes passávamos infância sem desenho animado;
Mas inauguramos televisão em 28/12/85.
Antes éramos um povo rural com poucos imigrantes;
Mas paturebas, gaúchos, mais gente do Sul e outros,
Hoje vivem entre nós na cidade e em Goiaminas.
Antes guardávamos dinheiro no embornal.
Mas o primeiro banco chegou em 15/10/80.
Antes tínhamos ainda casarões antigos,
Mas foram tombados, literalmente, no chão;
E nossa memória foi morrendo
Com as ruínas das casas de fazendeiro.
Antes tínhamos o cavaleiro estafeta,
Mas ganhamos agência de correio em 15/10/80.
Antes lama e a poeira que irritava nossos olhos.
O primeiro asfalto chegou em Formoso
Na rua do Comércio: Era 8 de abril de 1988!
Antes não tínhamos educação básica completa.
Ela chegou com ensino médio entre 86 e 88.
Antes havia candidato único para prefeito;
Nas eleições de 1982 e 88 mudamos essa história.
Antes há muito não votávamos pra Presidente,
Mas vibramos com os candidatos de 1989:
Lula, Collor, Covas, Freire, Brizola...
Antes não tínhamos nenhuma associação,
Mas as primeiras apareceram nos anos 1980.
Antes o Catolicismo reinava sozinho.
A década começou com a chegada de
Evangélicos e Espíritas.
Formoso não pensava (pensa hoje?)
Sobre Meio Ambiente, mas em 12/4/89
Foi criado o Parque Grande Sertão Veredas.
Antes o empregado trabalhava com a “Sorte” de vaqueiro.
Nos anos 1980 prefeito e fazendeiros passaram a
Respeitar Direitos Trabalhistas e pagar salário.
Formoso era uma cidade clandestina.
Em 1988 ela foi registrada em cartório e em lei.
Formoso não tinha nenhuma empresa:
Chegaram os Fundadores da COOPERTINGA,
E ela apareceu em 10 de janeiro de 1990.
ANTES não tínhamos...

E continuamos precisando de:
Indústrias não poluentes gerando emprego,
Asfalto nas estradas e energia nas fazendas,
Transparência para combater atos de corrupção,
Saneamento básico na cidade e em Goiaminas,
Mais saúde, ética política e educação,
Mais harmonia entre Homem e Natureza,
Mais DEMOCRACIA com POVO participando,
Mais gente fiscalizando,
Mais humildade e consciência,
Mais Amor e mais Justiça!!!
Mais DECÊNCIA!!!.



Manifesto para uma
Nova Geração de FORMOSENSES DIFERENTES


Xiko Mendes

Formoso quer…
Que você não perca a Memória!
Formoso quer...
Que todos releiam nossa História!

Formoso quer...
Preservar sua IDENTIDADE!
Formoso quer...
Construir sua Feliz-CIDADE!

Formoso quer...
Ser um pouco Minas, Bahia, Goiás...!
Formoso quer...
Ser o Marco Trijunção desses Gerais!

Formoso quer...
O prazer de ter LUTADO!
Formoso quer...
Crescimento urbano planejado!

Formoso quer...
Cidade limpa, sem erosão!
Formoso quer...
Um município sem LIXÃO!

Formoso quer...
Mais NATUREZA e bem-estar!
Formoso quer...
SER LIVRE PARA VOTAR!

Formoso quer...
Mais Saúde e Educação!
Formoso quer...
Mais Esporte, Turismo, Diversão!

Formoso quer...
Valorizar o seu talento!
Formoso quer...
Mais Cultura, conhecimento!

Formoso quer...
Político ético e inteligente!
Formoso quer…
Um GOVERNO TRANSPARENTE!

Formoso quer...
Eleitores com VISÃO CRÍTICA!
Formoso quer...
O fim da CORRUPÇÃO na Política!

Formoso quer...
Modernizar a agropecuária!
Formoso quer...
Também outra Reforma Agrária!

Formoso quer...
Desenvolvimento sustentável!
Formoso quer...
Mais político responsável!

Formoso quer...
Preservar as suas nascentes!
Formoso quer...
Indústrias não poluentes!

Formoso quer...
Uma outra assistência social!
Formoso quer...
Que o pobre tenha seu lugar ao Sol!

Formoso quer...
Menos impostos e mais polícia!
Formoso quer...
Mais emprego e mais justiça!

Formoso quer...
Mais estrada, menos buraco!
Formoso quer...
Mais ruas com asfalto!

Formoso quer...
Asfalto pra Bahia!
Formoso quer...
Asfalto pro Sítio d’Abadia!

Formoso quer...
Estrada asfaltada até Unaí!
Formoso quer...
Mais empresa pra progredir!

Formoso quer...
Não depender mais de Buritis!
Formoso quer...
Que o progresso chegue aqui!

Formoso quer...
Deixar de ser uma ilha!
Formoso quer...
Depender menos de Brasília!

Formoso quer...
Um novo modelo de Gestão Pública!
Formoso quer...
Na CERTEZA manter a DÚVIDA!

Formoso quer...
Um PROJETO NOVO DE CIDADE!
Formoso quer...
Políticos que só falem a VERDADE!

Formoso quer...
Menos discurso e mais ação!
Formoso quer...
Eleitor consciente como cidadão!

Formoso quer...
Ficar de maior e independente!
Formoso quer...
Um POVO CONSCIENTE!

Formoso quer...
Votar em pessoa DIFERENTE!
Formoso quer...
Novos Líderes pra sua GENTE!

Formoso quer...
Tudo isso um dia REALIZAR!
Formoso quer...
O DIREITO DE SE TRANSFORMAR!

FORMOSO QUER...
NOVAS ATITUDES para se REEDUCAR!
FORMOSO QUER...
TER O DIREITO DE SONHAR!!!

Formoso quer...
Uma Nova Geração de Formosenses!
Formoso quer...
Ser um FORMOSO DIFERENTE!!!

(Meus heróis morreram).
Precisa-se de um líder!


Xiko Mendes
(Homenagem ao Seu Abdias M. Ornelas e Dona Ana Pereira de Sousa).

Uma cidade sem líder
É como uma águia sem asa:
Ela deixa de voar alto,
Perde a visão do todo
E torna-se prisioneira da sombra
De seus governantes míopes.
Em minha cidade, pequena e bucólica,
Morreram meus velhos líderes.
Ou porque repousam no além-túmulo
Ou porque as urnas se fecharam para eles.
Morreu aquele que primeiro
Pensou em Saúde Pública,
Cuidou dos doentes sem cobrar nada,
E era como um médico sem diploma.
Morreu o primeiro prefeito:
Ele que fez as primeiras estradas e
Foi o mais honesto de todos;
Antes de encerrar o mandato,
Vendeu parte de seu patrimônio
E quitou “Restos a Pagar”
Para não deixar dívidas ao seu sucessor.
Morreu aquele que mais construiu escolas.
Morreu aquele que primeiro trouxe
Energia, água potável e asfalto.
Morreu também quem acabou com o
Sistema de candidato único para prefeito,
Pois a partir dele o povo perdeu o medo de votar,
Conquistou o direito de ir e vir, e falar;
E a cidade ganhou alternância de poder.
Morreu aquele que era exemplo de pai:
Foi o primeiro, em minha cidade,
Cujos filhos tiveram curso superior.
Morreram as duas mulheres
Que a vida inteira
Lutaram por mais escolas,
Cuidaram da igreja e dos pobres.
Morreram Bela, Joana Cabra, Ricardo,
Joaquim Bozeira, Tigrão, Dedê...,
(Todos eram meus heróis anônimos)
E tantas outras figuras invisíveis
Nesse mundo de gente que pouco enxerga.
Acabou o tempo dos políticos por vocação:
Não há mais políticos sonhadores!
Não há mais políticos visionários!
PRECISA-SE DE UM LÍDER!
Precisa-se de alguém que,
Antes de tudo, não minta para o povo.
Não compre voto nem faça promessas vãs!
Se tratar com quem quer que seja, cumpra-se!
Se disser SIM, seja sincero e resolva o problema.
Se disser NÃO, seja firme e diplomático.
Precisa-se de um líder
Que tenha projetos para os Pobres,
Mas não os vejam só como donos de voto.
Precisa-se de um líder
Que faça reforma urbana ou agrária,
Mas transforme assentamentos e
Periferias da cidade,
Em lugares dignos e não em favelas.
Precisa-se de um líder
Que cuide da vida em sua plenitude:
Seja um governante de homens,
Mas que antes de qualquer coisa,
Veja a Natureza como parte de
Tudo que faça em seu governo.
Precisa-se de um líder que
Não eleja tudo como prioridade,
Mas que a primeira prioridade
Seja a Educação de seu Povo.
Precisa-se de líderes que
Planejem o futuro do Mundo
E veja sua cidade como parte dele.
Meus heróis morreram.
Precisa-se de um líder em minha cidade:
QUEM SE CANDIDATA?

NASCI FORMOSENSE!

Xiko Mendes
(Homenagem prosopoética ao Aniversário de Formoso, em 1º de Março).


NASCI FORMOSENSE...
Com sangue baiano-mineiro
Como a maioria daqueles fecundados neste solo:
Bebendo leite tirado, na hora, do peito da vaca;
Comendo beiju e degustando o xiriri e,
Depois, tomando água do Carinhanha ou
Desses tantos rios afluentes do Urucuia, que estão
Morrendo aos poucos, envenenados com agrotóxicos;
E ressecados por causa do assoreamento
Proveniente de entulho e terra das fazendas.
Esses rios são algumas de tantas outras vítimas silenciosas da
Omissão política daqueles que deviam se
Sensibilizar com a morte trágica das
Nossas veredas e chapadas que embeleza(va)m
Cenários bucólicos nos vales desse Urucuia legendário.
O URUCUIA que encanta homens e magos da poesia
E das sagas do sertão como Guimarães Rosa.
Mas não encanta certos políticos mesquinhos
Só preocupados em fazer obras improvisadas
Ou inacabadas e em comprar votos em troca de
Assistencialismo imediatista ou dinheiro vivo.
São pessoas desprovidas de sentimento pelo belo,
Pela NATUREZA VIVA EM PERMANENTE RENASCER
E por tudo o que há de simples, porém, esplendoroso
Ao alcance dos nossos olhos nos quatro cantos
Desse PEDAÇO PERDIDO DE MINAS
Onde a SAUDADE é parteira do Sonho, e
Onde pulsa a MINEIRIDADE geralista nordestinamente
Goianizada pelo nosso Povo.
NASCI FORMOSENSE...
Um pouco depois de Formoso virar cidade, em 1963.
Fui menino livre na beira da grota do Barreiro
(hoje poluída pelo Lixão, que mata sua nascente).
Ali joguei bola em campos de futebol amador;
Dei toque mágico em FRUTOS DO CERRADO
(como o jatobá) transformando-os em vacas, bois, cavalos...
Brinquei de caminhão feito de buriti;
Andei descalço nas pedras de córregos sem poluição.
Dormi em camas de vara com ou sem colchão de capim.
Contemplei as PAISAGENS VERDES que ainda
Existiam antes da nossa cidade caminhar em direção
Ao Morro do Barreiro sem que os políticos
Aprovem um Plano Diretor Local que
Garanta a SUSTENTABILIDADE DE FORMOSO
(Nos próximos cinquenta anos)
Com base no Estatuto da Cidade.
NASCI FORMOSENSE...
De alma inquieta contrária à unanimidade dos medalhões
Encastelados em palácios ou casas de luxo.
Certos políticos me acusam de ser
Um inconformado com governos medíocres.
É verdade que não consigo ser aliado
Por muito tempo de políticos cujo cérebro
Não pensa além da própria sombra do míope que o carrega.
Em minha vida, eu sempre QUERO MAIS E MELHOR pra Formoso.
Vi Formoso aos dez, aos vinte, aos trinta, aos quarenta
E agora caminhando aos CINQUENTA ANOS
COMO CIDADE DE MINAS
Ignorada até recentemente pelos mapas do IBGE
E pelos Políticos Caçadores de Voto no Interior.
Essa é a razão de minha luta:
Não querer que o progresso em Formoso
Continue chegando em casco de tartaruga!
NASCI FORMOSENSE...
Aprendendo com meus pais ex-vaqueiros que
Não devia cruzar os braços e esperar o progresso chegar
Porque “Filho de Pobre não tem tempo a perder”.
Era (e é) necessário lutar pelo progresso, Formosenses!!
Ainda vivi o Formoso dos carros-de-boi
Fazendo buraco nas poucas ruas sem asfalto.
Ainda vivi infância em Formoso sem TV e sem telefone.
Ainda vivi o Formoso das inesquecíveis
FESTAS DO IMPERADOR DO DIVINO, da
Malhação do Judas em cima do jegue de Maroto...
O Formoso das lendas e das
Histórias épico-pitorescas relatadas por
Contadores de causos sentados na rede do alpendre,
Pitando um cachimbão ou um cigarro de palha
Com fumo de rolo plantado no fundo dos
Velhos currais quando a PECUÁRIA do gado pé duro
Era mais importante que o AGRONEGÓCIO.
Ainda vi Formoso amarrando cavalos de tropeiros
E cavaleiros nos pés de jatobás centenários
E nas mangueiras da pensão de Dona Ana.
Ainda vivi, já no fim, o Formoso das grandes boiadas
Que saíam do Município para virar quitute e salsicha
Nas grandes metrópoles.
Ainda viajei nas histórias de bravos viandantes
Guiando tropas para Januária em busca de
Mercadorias trazidas pelos vapores do rio São Francisco
Em troca de pena d’ema, látex de mangaba e peles de animais
Antes de Brasília existir.
Ainda vivi um Formoso que
Até 1979 TINHA MENOS DE DEZ RUAS:
A cidade estava espremida entre as
Ruas Felipe Tavares e Castelo Branco,
E entre a grota Barroca (hoje morta) e o Cemitério
(hoje superlotado).
NASCI FORMOSENSE...
Para ser Simples,
Humilde,
Humano,
Desprendido e
Hospitaleiro como todo MINEIRINHO do Sertão interior.
NASCI FORMOSENSE...
Para LUTAR desde sempre e eternamente
POR UM FORMOSO JUSTO, democrático, igualitário, fraterno...
E onde o FUTURO seja um sonho REALIZÁVEL
E BOM PARA TODOS: Homem e Natureza.

Acorda, Formoso!

Xiko Mendes
(Homenagem antecipada aos 50 anos da Emancipação de Formoso, em 1º/3/2013).

Acorda, Formoso!
Não interrompa sua
Marcha inelutável para o futuro!
Mas não faça do progresso
Um acerto de contas injusto com seu passado.
Valorize a grandeza e bravura
De quem lutou por você!
Invoque a memória de seus bravos antepassados
Contra o vandalismo ético-cultural dos iconoclastas
Porque uma casa velha, um documento amarelado,
Uma igreja cinzenta, uma página de jornal,
Um retrato esquecido na parede ou no armário...
São pedaços de nossa História.
Acorda, Formoso!
Eleja seus melhores candidatos
Para prefeito e vereador,
Não porque fulano é o MAIS RICO
E sicrano é o MAIS CULTO.
Não venda seu voto!
Vote em quem tem vontade e garra
De lutar por nosso município.
Acorda, Formoso!
Seja intransigente contra os corruptos!
Peça o Impeachment!
Anule o mandato de quem se elege,
Cruza os braços e se corrompe no poder!
Acorda, Formoso!
Escute esse som quase imperceptível
Que sai de dentro da terra:
É o lençol freático pedindo socorro
Contra venenos e a seca iminente
Matando nossos rios, destruindo nossas árvores,
E poluindo nascentes.
Acorda, Formoso!
Não deixe a vitalidade de seus jovens
Morrer na lama, viciados em drogas.
Acorda, Formoso!
É hora de fazer o parto da esperança,
Gerar emprego, EDUCAR O POVO,
Extinguir o analfabetismo,
Criar centros de apoio aos idosos,
Dizer não ao trabalho infantil,
Denunciar a pedofilia,
Abrir espaços para alcoólicos anônimos
E dependentes químicos!
Acorda, Formoso!
Reúna esse povo em praças!
Faça manifestações públicas!
Proteste, exija seus direitos!
O poder da Multidão é a
Resposta de Deus para perguntas
Sobre sonhos impossíveis.
E o amanhã começa hoje!
Acorda, Formoso!

Cavaleiro das Veredas Gerais
Xiko Mendes

Sou um cavaleiro desse grande sertão
E vivo contemplando a sua beleza,
Lutando sempre por sua preservação
Para que não morram essas veredas.

Sou um cavaleiro sem armas na mão.
Minhas armas são o verso e a prosa.
Quero preservar esse pedaço de chão
Que tanto seduziu o Guimarães Rosa.

Dizem que sou um grande sonhador.
E sou mesmo um cavaleiro visionário.
Luto e lutarei sem trégua e a favor
Desse meu velho sertão extraordinário.

Sou um cavaleiro com um pé na estrada
E outro no futuro do nosso sofrido povo.
Indignado com a destruição das chapadas,
Faço aqui e agora meu pedido de socorro:

Não deixem que essas Veredas Gerais
Desapareçam desse meu Grande Sertão;
Que se unam essas Minas, Bahia e Goiás
Em defesa do nosso Marco Trijunção!


O que quero para Formoso até 2063

Xiko Mendes
(Homenagem ao Centenário da Cidade de Formoso a ser comemorado em 1º de março de 2063).

Quero um Formoso diferente desse que é
Projetado por certos políticos de visão curta;
E são fazedores de obras eleitoreiras e imediatistas
Porque seus projetos têm data de vencimento.
Eles não investem em projetos de longo prazo:
Educação, Saúde Preventiva, Meio Ambiente,
Trânsito inteligente, inclusão digital para os jovens,
Valorização do idoso, da criança e do deficiente.
Eles não nos vêem como Povo, mas
Como o Zé Ninguém cujo voto é comprado
Em cada eleição em troca de migalhas
Como se fóssemos pedintes de carteirinha.
O homem pobre, anônimo, cheio de filhos,
Só é visto em duas ocasiões: o dia em que
A URNA se abre e se fecha, ou seja,
O dia da eleição e o dia da própria morte.
Quero um Formoso onde o cidadão vota livre e diz:
“Votei por um Formoso que sonho para meus filhos”.
Quero esse Formoso dos sonhadores, contrários
Àqueles que só pensam na próxima eleição;
E, se assim fazem, é porque confiam na
Impunidade dos corruptos neste país sem vergonha,
E no silêncio do próprio povo.
Quero um Formoso que valorize o ar puro
Soprado pelos ventos vindos das VEREDAS GERAIS
Ecoando acima do Morro do Barreiro
Como se fosse uma grande tempestade
Varrendo Piratinga e São Domingos abaixo
Esses políticos sem projetos para o futuro.
Quero um Formoso em que
O POVO saiba em praça pública
Quanto prefeitura e câmara municipal
Recebem e gastam mensalmente.
Quero um Formoso que não deixe
Ninguém morrer por falta de socorro médico
Ou de hospital sem equipamentos mínimos.
Quero um Formoso que valorize a vida;
Valorize nossa gente, sua história e sua cultura.
Quero um Formoso que estimule a
Participação política do Povo nas ações do governo;
Quero um Formoso que preserve as águas,
As paisagens naturais, a terra onde nascemos
E dela extraímos nosso sustento.
Quero um Formoso que ame a poesia
E o som da palavra em prosa.
Quero um Formoso diferente que ora
Caminha rápido como notícia na internet,
Mas também trilha em silêncio e lentamente
Como o vôo de um pássaro
Aspirando, devagar, o gosto da liberdade.
Quero um Formoso com a prudência dos sábios,
Com a perspicácia da coruja,
A paciência da lesma e a fantasia das crianças.
Quero um Formoso DIFERENTE!
Transparente!
De pessoas sensíveis, inteligentes!
Amáveis umas com as outras.

ESTATUTO CÍVICO DO POVO FORMOSENSE

Xiko Mendes


ARTIGO 1º: Todo formosense tem pleno direito de contemplar as estrelas sem ser incomodado pelos anjos rebeldes do apocalipse.
ARTIGO 2º: Todo formosense tem direito de erguer seu castelo de sonhos no lugar mais alto do Município com a convicção de que seu imaginário utópico é maior que o próprio universo.
ARTIGO 3º: Todo formosense merece ter governo, ética e ecologicamente correto, que garanta às gerações presentes e futuras um ambiente vivo e aprazível.
ARTIGO 4º: Todo formosente é livre para bater na porta de seus governantes (prefeito e vereador) e dizer-lhes que merecem uma cuspida na cara sempre que deixarem de cumprir o que prometem em palanque ou comprar voto de alguém.
ARTIGO 5º: Todo formosense deve usufruir da liberdade de pensar sobre o inútil, mentir debaixo dos jatobás centenários em primeiro de abril contando histórias inventadas pelos querubins do além, e dizer ao mundo que é a pessoa mais feliz da Terra.
Parágrafo Único: Todo formosense da gema se regozija batendo no peito para dizer em todo lugar por onde passa que é de Formoso de Minas – o melhor lugar de todas as galáxias.
ARTIGO 6º: Todo formosense que mudou de seu Município tem a obrigação de voltar à cidade em anos bissextos para recordar-se de que o homem cortou o tempo no calendário para que se tenha sempre um recomeço.
ARTIGO 7º: Todo formosense que se preze como amoroso à terra tem que visitar pelo menos duas vezes na vida o Parque Nacional Grande Sertão Veredas, a Festa de Julho e a Festa de Santo Antônio em Goiaminas, e subir com pés descalços o Morro do Barreiro e as serras do Piratinga e do São Domingos para deslumbrar-se com as variadas e infinitas potencialidades do Município.
ARTIGO 8º: Todo formosense cuja alma telúrica é contaminada pela MINEIRIDADE dos grandes homens como Tiradentes, Santos Dumont, Juscelino Kubitschek e Tancredo Neves, deve indignar-se contra a censura, colocar-se em defesa da democracia e invocar a saudade dos antepassados com a certeza de que a caminhada para o futuro depende do compromisso em preservar o passado transformando a realidade presente.
ARTIGO 9º: Todo formosense deve passar no mínimo um dia em silêncio meditando sobre o que fomos, quem somos e o que cada um deve fazer para melhorar o que seremos na Posteridade enquanto povo que celebra a grandeza de Minas.
ARTIGO 10: Os casos omissos ou não previstos neste Estatuto serão resolvidos pelo Fórum Internacional de Defesa da Formosinidade cujo endereço é Rua Esperança, número 1963, Edifício Primeiro de Março, bairro Paraíso, cidade de Formoso.
ARTIGO 11: Este Estatuto entra em vigor na data de sua afixação no coração de cada formosense.
ARTIGO 12: Revogam-se as Disposições em Contrário com o compromisso de que cada formosense com espírito patriótico levará consigo uma cópia deste Estatuto para o túmulo como prova documental a ser apresentada no Juízo Final onde os anjos advogarão junto a Deus o último direito de um formosense: o de que sua alma pintará nos céus a palavra FORMOSO, e assim descansará em paz no último dia do décimo segundo mês do ano.

Últimas Palavras de um Formosense Diferente

Xiko Mendes
(Homenagem-testamento de um homem que passou a vida lutando por uma nova consciência em sua terra).

Olhem para o Alto Carinhanha
E salvem os afluentes do Urucuia!
Subam no Morro do Barreiro e
Mire o Parque Grande Sertão Veredas!
Enxerguem nossas belezas e potencialidades!
Contemplem nossos velhos jatobás
Onde FORMOSO nasceu há dois séculos!
(Parque e árvores preservando a vida!).
Não deixem morrer o Piratinga
Com terra assoreada e contaminada!
Não matem o São Domingos
Com seu leito pedregoso, lindo e escorregadio!
Não matem as árvores que fazem
Belas nossas paisagens de chapada!
Mantenham vivo e puro o nosso subsolo!
Diga não a quem destrói a memória do povo!
Conscientizem quem ignora nossa História!
Façam com que os políticos priorizem
A Educação,
A Saúde,
O Meio Ambiente,
O Transporte para todos!
Peçam às pessoas de bem que lutem
Contra a corrupção em FORMOSO!
Contra o analfabetismo!
Contra as drogas e a violência!
Contra o desprezo pelos idosos!
Contra o descaso com o futuro das crianças!
Contra o autoritarismo que mata nossa liberdade!
Diga às novas gerações quanto é saudável
AMAR FORMOSO (!),
Sentir o cheiro dessa terra única e incomparável (!),
Ver cada flor de cerrado abrindo-se para o horizonte(!),
Quero que deixem FORMOSO pulsar
O seu sentimento pela democracia...
Pelo amor ao próximo...
Pelo mundo e a humanidade!
(Respeitem quem vem morar e desenvolver FORMOSO
Sem se perguntar se ele é do Brasil ou do Mundo!).
Quero que FORMOSO não pare um segundo
De lutar por uma Cidade Sustentável,
Limpa, com moradia e emprego digno para todos,
Com ruas bem cuidadas,
Com jardins e praças coloridas,
Com Gente que ama Ser Formosense
Antes de qualquer coisa nesta vida!
Que DEUS e o POVO
Caminhem unidos e em silêncio celestial
Em cada parte desse território
E façam de FORMOSO
Sempre o melhor lugar
Para se viver!
Por fim, a última coisa que lhes peço:
Não deixem que o vento leve
Os sonhos de cada Cidadão FORMOSENSE!

Um comentário:

Anônimo disse...

Lindos Poemas...me emocionei... sou damianopolina, mas conheço um pouco do Formoso, e agora tenho umpedaço de mim lá, meu irmão que me orggulho, Deni Santana. Foi escolher justamente Formoso para apostar em seu trabalhoe meio de saobrevivência. Não porque lá oferece essa oportunidade, mas porque é um lugar acolhedor e de gente que preserva melhores qualidades humanas, como, umildade, honestidade,amizade, e muito mais.