quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

JOSÉ GERALDO
Patrono da Cadeira XXVII

José Geraldo Pires de Mello nasceu em Niterói, no dia 18 de maio de 1924. Estreou em livro com seu De Braços Dados (coroa de sonetos), em 1975, seguindo-se outro livro de sonetos: Chama de Amor (1978), O Catavento Amarelo (1978) e A Mensagem do Arco-íris (1981), todos eles publicados em Brasília, onde reside.
Também em 1975 licenciou-se em Português/Latim e Português/Espanhol pelo Centro de Ensino Unificado de Brasília – CEUB, em cujo Departamento de Letras leciona desde 1978, nas áreas de Literatura Brasileira e Pesquisa Literária e, eventualmente, nas de Literatura Portuguesa e Teoria da Literatura. No mesmo estabelecimento de ensino integrou, em 1982, a primeira turma de pós-graduação (latu sensu) na área de Moderna Literatura Brasileira.
Apaixonado pela poesia clássica e especialista na arte de escrever respeitando o ritmo e a métrica, José Geraldo tem como ídolo o poeta Cruz e Sousa, a quem dedicou um Ensaio (Cem Anos com Cruz e Sousa), publicado pela Thesaurus em 1994.
No auge dos seus 83 anos, participa de várias entidades de caráter cultural, entre elas a Associação Nacional de Escritores (Brasília), Academia Niteroiense de Letras (Niterói-RJ), Academia Brasileira de Literatura (Rio de Janeiro), Academia Fluminense de Letras (Rio de Janeiro), Academia Brasiliense de Letras (Brasília), Academia de Letras dos Funcionários do Banco do Brasil (Rio de Janeiro) e Academia de Letras do Brasil (Brasília).
É comum encontrarmos na sua vasta obra poética - além do ritmo, da métrica e do lirismo - os versos burlescos, marca registrada do poeta, contista e ensaísta José Geraldo Pires de Mello.
José Geraldo faleceu a 21 de abril de 2010, deixando órfãos todos aqueles que apreciam os versos bem esculpidos.

Nenhum comentário: