sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

A FLOR ESCOLHIDA
(Geralda Vieira)
Era uma flor em desatino,
Pois caiu do galho em que morava
E saiu rolando com o vento
Sem saber qual destino tomava.

Perdeu-se do galho onde cresceu,
E sem saber para onde o vento a levava,
Lembrou-se dos olhares apaixonados
Que a sua beleza tanto encantava.

Mas ela não deixou que fosse interrompida
A vida que por Deus lhe fora doada.
Lutou contra a força do destino
Que a levava ao desatino,
Mesmo sendo ela a flor escolhida
Dos beija-flores em revoada.

Mas ela viu que nem tudo estava acabado
Só porque não estava onde queria ficar.
Viu que a vida nos reserva surpresas,
Por isso, não devemos nos desesperar.
Era ela a flor por Deus escolhida
Para nossas vidas enfeitar.

Nenhum comentário: