quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

A NATUREZA REZA
(Marcos Alagoas)
A natureza reza pela sobrevivência,
Orando arvorecidamente
Em cada semente esparramada
Nasçam filhas da sua consciência,
Se me matarem, não as verei brotar,
Então, oro!
Por essas vidas,
Preservações,
Que ficarão em meu lugar!
Estou arvorecidamente preocupada
Com esses predadores.
Se me devoram em silêncio,
Cortam-me com violência,
Consomem a minha existência!
Não saberão do amanhã,
Pois estes cortes profundos
Atingirão minhas raízes
Que parece alegrarem o seu coração,
Pois a minha vida não teme a sua RAZÃO!...
Oh, Deus- natureza!
Desta minh’alma verde
Produzi clorofila,
Minha vida eram as folhas
Que a brisa balançava,
Agora caídas, deitadas neste chão,
Secarão!!!
Adubarão minhas filhas
Sobre minha proteção.
Essas veias-raízes,
Que agora feridas
Por entre a Terra
A devastação
Desses homens sem coração,
Como irei entender
Que as mesmas mãos que colhem
Meus frutos são as mesmas que me cortam?
Somem com a minha verde imagem
Desaparecem mais uma árvore,
Entre várias neste Planeta,
E assim, a natureza se veste de luto,
A sua cor desaparece...

Nenhum comentário: