terça-feira, 8 de março de 2011

Homenagem da Academia Planaltinense de Letras às Mulheres, por ocasião do DIA INTERNACIONAL DA MULHER
MULHER
(Vivaldo Bernardes de Almeida)

Conheço-te, Mulher, conheço-te inteira,
da tua altiva tez aos delicados pés.
Singrando o mar da vida, és a timoneira.
Por mais palavras ouço, escondes-me quem és.

Escondes-me quem és, por mais palavras digas.
Só podes ser divina, a te esconderes tanto,
pairando em longes sóis, em que feliz te abrigas,
pois és igual em tudo, ao que há de mais santo.

Nas horas mais difíceis, horas de ansiedade,
o Homem te procura, à busca da verdade
que trazes junto a ti, na fala esclarecida.

Por fim, não sei dizer de onde tu vieste,
mas sei, daqui não és, e sim do azul celeste,
da mais brilhante estrela, e aqui estás perdida.


A MULHER QUE EXISTE EM MINHA VIDA
(Xiko Mendes)

A Mulher que existe em minha vida
É aquela que assume, sem medo,
Sua condição feminina
Como dimensão plena de liberdade.
É aquela que não abre mão de seu maior
Projeto de Vida: ser livre e feliz!
E só são felizes e livres
As pessoas que apalpam galáxias,
Tocam os céus,
Conversam com estrelas,
E dialogam com a Natureza
Observando o vagar silencioso
Do caminhar como busca
Constante da vida e do amor.

A Mulher que existe em minha vida
É a mulher-águia: desconhece barreiras
Por que sobrevoa ao longe e perto de seu coração
E nesse ir e voltar de sonhares incessantes,
Reconhece que o limite da Felicidade é a
Busca absoluta do Universo que existe dentro de nós!

A Mulher que existe em minha vida
Não tem traços étnicos;
Não é branca, negra, amarela, morena...
Ela é um arco-íris com a força do vento
E a coragem de um pássaro.
E, num explodir de luzes que acendem o Mundo,
Ela vai aos poucos colocando luzes
Que apagam as trevas do preconceito,
Da indiferença e do desamor.

A Mulher que existe em minha vida
Tem cheiro de fêmea.
Mas não se satisfaz apenas com o odor do sêmem
Porque é ainda maior que essa felicidade instantânea
Onde a libido muitas vezes está cercada de rótulos
Como o do "Sexo Frágil".
Porque a Mulher que existe em minha vida
Identifica no encontro dos sexos a satisfação plena de
Ser a dona da chave que abre o Mundo para a Vida,
A Felicidade, a Liberdade...
E o Prazer, ambos compartilhados,
E de igual para igual.

A Mulher que existe~em minha vida
Contempla todas as manhãs como se
O Mundo fosse uma eterna primavera;
E a Vida um orgasmo permanente.
E vai construindo, sem medo e sem fronteiras,
O seu direito de ser livre e feliz
Tecendo os fios de sua história, em silêncio;
Reconstituindo seus fragmentos de existência
Na sua relação com aquele já quase extinto
"Mundo dos homens"
Que via a Vida só sob o ângulo do Macho e Fêmea;
Ou com o "mundo das cores",
Que Separa a beleza por critérios de valor,
Etnia e anatomia;
Ou com o "mundo mercador de ilusões calipígias"
Que vende a beleza em passarelas,
Vulgarizando e ofuscando a percepção
De ver em cada mulher
A singularidade de ser especial: única
Nas suas idiossinerasias de ser
Construtora de fantasias e de seu próprio sonho.

A Mulher que existe em minha vida
Tem instinto de Mãe.
Não apenas a mãe como arché universal
Na arquitetura biológica da Existência.
Mas a mãe como esfera de miragem estética
De onde se enxerga o Belo, o Maravilhoso,
O Universo e o Impossível!


A IMPORTÂNCIA DA MULHER
(Joésio Menezes)

Pouco importa-me a sua cor,
Se é negra, branca ou albina;
Pouco importa-me se tem ou não pudor,
Se é recatada ou messalina.

Se por mim tem ou não amor,
Isso é coisa que não me desatina!
Importa-me apenas a obra que o Senhor
Deixou ao mundo, delicada e feminina.

Pouco importa-me seu grau de maturidade:
Se está na menopausa ou na puberdade,
Se é de meia-idade ou debutante.

O que mais importa é que a mulher,
Sabendo ou não da vida o que quer,
Dos seres é o mais importante!

Nenhum comentário: