segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Dr. HOSANAH CAMPOS GUIMARÃES.

HOMENAGEM DA ACADEMIA PLANALTINENSE DE LETRAS AOS 80 ANOS DE FORMATURA DO Dr. HOSANAH CAMPOS GUIMARÃES COMO PRIMEIRO MÉDICO DO PLANALTO CENTRAL

Prof. Xiko Mendes
(Discurso proferido durante o IV Encontro Artístico-Cultural da Academia Planaltinense de Letras, dia 4/12/09, em Planaltina – DF).

Nesta noite de quatro de dezembro de 2009, véspera do aniversário de onze anos da ACADEMIA PLANALTINENSE DE LETRAS, venho convidar todos os presentes para comigo celebrarem os 80 anos da DIPLOMAÇÃO de Dr. HOSANAH CAMPOS GUIMARÃES cuja formatura como PRIMEIRO MÉDICO DO PLANALTO CENTRAL ocorreu no Rio de Janeiro, dia 29 de novembro de 1929. Planaltina, essa cidade bicentenária que está comemorando 150 anos de vida político-institucional, é também a Planaltina que um dia se chamou Mestre d’Armas e Altamir. É a Planaltina que atraiu imigrantes do Brasil inteiro que com ela sonharam longas décadas com a construção de Brasília. É essa Planaltina que ofereceu ao Brasil uma das mais importantes personalidades nascidas em solo goiano, hoje território do Distrito Federal.

Dr. HOSANAH CAMPOS GUIMARÃES nasceu aqui em Planaltina, no dia 31 de outubro de 1905, filho do coronel Salviano Monteiro Guimarães e de Dona Olívia Campos Guimarães. Batizado pelo padre dominicano Frei Nicolau e cursando o ensino primário com a Tia Rita e a Professora Percília Mundim Guimarães, esse menino célebre passou sua infância numa Planaltina do começo do século XX ainda pequena, rústica e profundamente marcada pelos valores culturais goianos. Entre 1912 e 1917, ele tornou-se aluno do Colégio Dominicano São José, na vizinha Formosa-GO, daí fora deslocado pela mãe para cursar o ginásio no Liceu Goiano em Goiás Velho, mas o pai, insatisfeito, mandou-o pra São Paulo andando semanas em lombo de burro e em trem de ferro.

Em São Paulo, no Ginásio Osvaldo Cruz, permaneceu por cinco anos até 1922 quando concluiu seus estudos secundários. Sonhando em ser médico, mudou-se para o Rio de janeiro e lá, entre 1924 e 1929, cursou e concluiu Medicina. Em abril de 1930, há quase setenta anos, Dr. HOSANAH GUIMARÃES voltou para Goiás e instalou o seu CONSULTÓRIO MÉDICO EM PLANALTINA iniciando a sua longa e riquíssima lista de serviços relevantes prestados a essa cidade, a Goiás e ao Brasil. Casado em 12 de abril de 1937 com dona Alice da Silva Guimarães, com ela teve cinco filhos: Hosanice, Maria, Alcino Sávio, Ney Hosanah e MARIA ALICE – nossa confreira nesta Academia e esposa do ex-deputado distrital Salviano Antônio Guimarães Borges, também nosso acadêmico.

Como médico, Dr. Hosanah clinicou por toda a região onde fosse chamado. Ia em lombo de burro socorrer gente em lugares muito distantes: Luziânia, Formosa, Cristalina e até Posse, no vão do Paranã. Com a inauguração de Brasília, Dr. Hosanah foi nomeado dia 19 de setembro de 1960 como médico do SAMDU – Serviço de Assistência Médica Domiciliar de Urgência; depois tornou-se Chefe da Saúde em Planaltina até aposentar-se aos setenta anos de idade.
Como liderança política, Dr. Hosanah foi quase uma unanimidade em Planaltina se não fosse a oposição do bravíssimo pioneiro comerciante Alexandre Salgado. Em sua vida como homem público, Dr. Hosanah foi nomeado pelo Governo de Goiás como Inspetor Sanitário em Planaltina em 24 de maio de 1930. Foi prefeito de Planaltina entre 1930 e 1933. Com o fim da Era Vargas, o novo Presidente da República Eurico Gaspar Dutra nomeou-o integrante da Junta Governamental que dirigiu Goiás em 1946. Em 1947 foi eleito pelo povo goiano como VICE-GOVERNADOR DO ESTADO na chapa de Jaime Coimbra Bueno. Com a renúncia deste para concorrer ao Senado, DR. HOSANAH GUIMARÃES TORNOU-SE GOVERNADOR DE GOIÁS e terminou o mandato até 1950. Dr. Hosanah foi ainda integrante de conselho do Ministério da Agricultura, Presidente do Sindicato Rural de Brasília, membro ativo da Associação Goiana de Pecuária e da Sociedade Rural do Triângulo Mineiro.

Como homem visionário, Dr. Hosanah foi também um dos entusiastas pela mudança da capital do país para o Planalto Central. Como Vice-Governador de Goiás, acompanhou a Missão Poli Coelho em 1948, viajando de tropa, indicando lugares, apontando soluções. E como visionário, teve ainda marcante atuação intelectual. Já aposentado, um dos seus “afazeres” prediletos era participar ativamente das reuniões da ACADEMIA DE LETRAS E ARTES DO PLANALTO, localizada em Luziânia-GO, onde ali tomou posse da cadeira nº: 19 cujo patrono é o historiador de Formosa, Major Olimpio Jacintho. Eu também sou membro daquela academia em Luziânia e fico imensamente feliz de saber que um dia ali também esteve esse nobilíssimo cidadão planaltinense – Dr. Hosanah – que morreu aos 92 anos, em 09 de novembro de 1997.

Dr. Hosanah – personalidade ímpar independente das convicções políticas de cada um dos moradores de Planaltina – é mais que o PRIMEIRO MÉDICO DO PLANALTO CENTRAL: é um homem que cruzou fronteiras numa época de atraso e isolamento quando GOIÁS era uma ilha no fim do mundo. Um homem que saiu do sertão do Brasil Central para morar em Goiás Velho, em São Paulo e no Rio de Janeiro, longe da família e dos amigos, longe de sua terra, tudo isso para conquistar o título de médico devotado a amar e atender indistintamente todos os seus pacientes, rico ou pobre.

Hoje é um momento muito importante para mim e para os acadêmicos da ACADEMIA PLANALTINENSE DE LETRAS. É o dia em que solenemente conferimos ao Dr. HOSANAH CAMPOS GUIMARÃES o merecido título de PATRONO DA SAÚDE PÚBLICA DE PLANALTINA e PRIMEIRO MÉDICO DO PLANALTO CENTRAL. Essa não é apenas uma homenagem necessária; ela é uma obrigação nossa para com as grandes personalidades desta pátria tão carente hoje em dia de homens sérios, éticos, abnegados e visionários.

O Governo do Distrito Federal e sua Câmara Legislativa ainda têm uma grande obrigação a cumprir nesse calendário comemorativo dos 150 anos de Planaltina: a de homenagear Dr. Hosanah como o PATRONO DA SAÚDE PÚBLICA DE BRASÍLIA por ter sido, como vimos, o médico que cuidou dos pioneiros e da nova capital do nosso país, homens e mulheres, candangos simples e humildes, que tornaram reais as imagens desenhadas pelo arquitento Oscar Niemeyer e pelo urbanista Lúcio Costa.

Muito ainda teria para discorrer sobre Dr. Hosanah, pois vasta é a sua trajetória política e profissional. Mas dou-me por satisfeito, especialmente por saber que hoje a ACADEMIA PLANALTINENSE DE LERAS confirma, mais uma vez, o seu papel de instrumento ético na celebração das virtudes e das personalidades singulares que sonham, lutam e constroem uma PLANALTINA cada vez melhor não obstante os graves desafios que enfrentamos neste início de século XXI. Conhecer a vida e a experiência de homens como Dr. Hosanah é fazer Planaltina voltar os olhos para seu passado para torná-la capaz de compreender quanto é obrigatória a nossa missão de moldar as novas gerações com valores como abnegação, humanismo, crença na realização dos sonhos, instinto visionário direcionado a um futuro digno, pioneirismo e desejo permanente de fazer de Planaltina a melhor cidade do Brasil e do Mundo.

Parabéns, Dr. Hosanah, pelos 80 anos de sua DIPLOMAÇÃO COMO MÉDICO (!) que colocou em prática, e da maneira mais grandiosa possível, os bons ensinamentos milenares do Juramento Hipocrático.

MUITO OBRIGADO!

Nenhum comentário: