sexta-feira, 9 de agosto de 2013

EDUCADORES E ESTUDANTES DO CENTRO 2 FAZEM PASSEATA EM DEFESA DA SEGURANÇA NAS ESCOLAS DO CENTRO DE PLANALTINA-DF.

DISCURSO DE XIKO MENDES representando os Professores do CENTRO DE ENSINO MÉDIO 02, DE PLANALTINA-DF, na PASSEATA REIVINDICANDO SEGURANÇA PÚBLICA NA ÁREA CENTRAL DESTA CIDADE ONDE ESTÃO LOCALIZADAS CINCO GRANDES ESCOLAS DO DF, NA MANHÃ DE SEXTA-FEIRA, 9 DE AGOSTO DE 2013.

Excelentíssimo Senhor Governador do Distrito Federal e Médico, Agnelo Queiróz;
Excelentíssimo Senhor Secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar;
Excelentíssimo Senhor Administrador Regional de Planaltina-DF, Professor Nilvan Vasconcelos;
Digníssima Diretora do Centro 02, Professora Sonara;
Colegas Professores e Professoras,
Bravos Estudantes do Centro de Ensino Médio 2 de Planaltina!

Consideramos estas verdades como evidentes por si mesmas: que todos os homens são criados iguais, dotados por Deus de certos direitos inalienáveis, e que entre estes estão o direito à vida, o direito à liberdade e o direito à procura da felicidade”.
Assim nos disse Thomas Jefferson na Declaração de Independência dos Estados Unidos, em 1776! E é com essas belas palavras que eu venho nesta manhã radiosa, fulgurante e parteira de ansiedades e sonhos, anunciar a vocês que, em nome dos Educadores do Centro 02, não apenas reivindicamos a paz e a tranquilidade públicas na área central de Planaltina-DF. Nós vimos aqui para exigirmos do Governo do Distrito Federal que ele assuma a sua responsabilidade prevista nos artigos 5º e 144 da nossa magna Constituição. Constituição essa segundo a qual a Segurança Pública é dever do Governo e responsabilidade de todos para a preservação da Ordem Pública e a integridade física e moral do Povo Brasileiro.
Vimos aqui nesta manhã dizer aos nossos governantes que a Pátria – como bem disse Rui Barbosa, “não é ninguém; são todos; e cada qual tem no seio dela o mesmo direito à ideia, à palavra, à associação. A pátria não é um sistema, nem uma seita, nem um monopólio, nem uma forma de governo; A PÁTRIA é o céu, o solo, o povo, a tradição, a consciência, o lar, o berço dos filhos e o túmulo dos antepassados, a comunhão da lei, da língua e da liberdade”.
Se a Pátria é o nosso povo, se a Pátria é a nossa juventude, se a Pátria são os nossos aguerridos estudantes... Que Pátria é essa, que é apunhalada pela falta de segurança pública?
Essa é a mesma pátria que está nas ruas desse país protestando contra as injustiças! É a mesma Pátria que se coloca contra os ladrões de dinheiro público! É a mesma Pátria que se levanta, altaneira e radiosa, contra a criminalidade e as drogas que matam os filhos das famílias brasileiras, que matam as crianças e os estudantes desse país!
Nenhuma pátria terá no seu berço esplêndido homens e mulheres livres e felizes sem que o Governo garanta aos Estudantes Brasileiros e Planaltinenses, o direito de ir e voltar das nossas escolas com dignidade e segurança; e que a vida de nossos estudantes seja preservada dos riscos de se depararem frente a frente com malfeitores que se postam nos becos entre as nossas escolas e na espreita, em plena luz do dia, saqueiam nossas crianças e adolescentes!
Que Pátria é essa, onde os nossos alunos saem de suas casas e no meio do caminho tem celulares e mochilas roubados no centro de Planaltina? Que Pátria é essa, onde nossos estudantes a cada segundo correm o risco de serem esfaqueados ou atirados com balas de malfeitores nos becos entre as escolas de nossa cidade? Que Pátria é essa onde crianças e adolescentes planaltinenses, sonhadoras e indefesas, saem de nossas escolas sem a certeza de chegarem em suas casas porque, ao saírem das aulas, estão sujeitos ao confronto mortal com assaltantes que vagueiam, livremente, em pleno centro de Planaltina?
Nós, Professores do Centro 02, não aceitamos o Silêncio como resposta contra a falta de segurança pública enquanto nossos alunos estiverem sujeitos à criminalidade no centro de Planaltina! Como bem nos disse Martin Luther King em 1963: "O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter ou dos sem ética... O que me preocupa – disse Martin Luther King – é o silêncio dos bons”.
E nós, educadores do Centro 02, estamos do lado dos bons. Estamos do lado desses aguerridos estudantes do Centro 02, que se postam em praça pública para garantirem o direito constitucional de irem e virem! Esses corajosos estudantes do Centro 2, que hoje vêm às ruas de Planaltina, portando bandeiras, portanto cartazes e faixas, dando seus recados em mensagens cívicas... são estudantes que querem paz e tranquilidade na entrada e saída de nossas escolas! São esses valorosos estudantes do Centro 02, de quem nos orgulhamos de ser os seus professores, os principais protagonistas da luta por uma Pátria onde o direito à vida, o direito à liberdade e à dignidade sejam de fato direitos inalienáveis e sagrados do Povo Brasileiro.
Onde estão os nossos governantes, que não enxergam das vidraças de seus palácios a violência que se alastra, impune, silenciosa e à espreita, o futuro de nossos jovens? Onde está a Secretaria de Segurança Pública que ainda não ouviu os clamores patrióticos dessa valorosa juventude estudantil que aqui hoje, nesta manhã ensolarada, se posta no centro de Planaltina, para pedir mais segurança em nossas escolas? Onde estão aqueles que recebem das urnas a Procuração conferida pelo voto para, em nosso nome, lutar por mais segurança pública?
Nós, professores do Centro 02, ainda sonhamos com uma pátria de homens livres e felizes. Ainda sonhamos com jovens que vão e voltam de nossas escolas felizes e livres. Nós ainda sonhamos com um país onde nossas crianças e adolescentes se tornem jovens dignos, honrados e bem-sucedidos, pois sabemos que nossa Pátria, de tanto ver irregularidades neste país, às vezes se desanima, se aliena e se entrega ao silêncio conivente.
Mas, como já bem disse o sempre lembrado Rui Barbosa, grande exemplo de brasileiro: “De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça; de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto”. E nossos bravos estudantes, que nessa manhã tomam conta de nossas ruas, é gente que não se desanima nem fica de braços cruzados; nossos alunos é gente que ainda fecunda sonhos e semeia esperança porque nossos estudantes são partes daquele grupo de brasileiros que sonha com uma pátria de pessoas honestas, justas, solidárias e felizes.
Mas não haverá honestidade nem solidariedade nem justiça neste país enquanto a criminalidade assaltar nossos estudantes, enquanto as drogas roubarem o futuro de nossas crianças e adolescentes, enquanto o crime permanecer dando um salto mortal na desavergonhada consciência silenciosa e omissa daqueles que deviam agir em defesa da segurança pública.
Nós, professores do Centro 02, queremos mais policiamento na área central de Planaltina! Queremos o fechamento dos becos do centro de nossa cidade! Queremos que o Batalhão Escolar tenha mais policiais fazendo rondas permanentes nas portas de nossas escolas! Queremos um posto policial na Praça do Estudante! E queremos que a Praça do Estudante seja de fato a praça de nossas crianças e adolescentes e não a praça onde a vida, a felicidade, a liberdade e o futuro são colocados em risco permanente.
Nós somos parte dos três milhões e meio de educadores brasileiros que lutam por um país melhor. E aqui nos colocamos entre aqueles que reeducam a consciência cívica e ética nacional, que ama essa pátria, que ama este solo e este povo, como condição indispensável na formação de um país livre, mais humano, mais solidário, mais ético e mais justo, onde todos possam estudar, onde nossos alunos possam ir e sair de nossas escolas, sem o perigo de morrer ou ser assaltado em plena luz do dia ao sair de nossas aulas.
Como disse meu conterrâneo Tiradentes, na véspera de sua morte por enforcamento há dois séculos: “Se todos quisermos, ainda haveremos de fazer deste país uma grande nação”! E nós haveremos de fazê-lo, inclusive com mais segurança em nossas escolas!
Muito obrigado, Estudantes, professores, pais de alunos e povo de Planaltina!







Nenhum comentário: