quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

MECENOCRACIA

MECENOCRACIA INTERCULTURAL

Xiko Mendes (Cadeira VI da APL).

Na Grécia Antiga não se concebia Educação e Cultura como conceitos separados ou distintos. Para eles, que inventaram a Filosofia e a Ciência como conhecemos hoje, a arte de ensinar tinha um sentido sublime: educar implicava, sim, na formação humanística do cidadão, mas o educar-se estava intrinsecamente ligado à internalização da Cultura Grega em cada indivíduo. Para isso, os gregos inventaram a palavra PAIDEIA. Nesta palavra estavam embutidos os dois conceitos: educação e cultura como matriz da Civilização construída por eles e que se tornou o substrato cultural que deu origem ao Ocidentalismo (do qual o Orientalismo de que nos fala Edward Said seria um contraponto? Eis a questão para debate).
Na falta de originalidade, optei por criar um neologismo. Que Paideia entre nós possa de agora em diante ser concebida como MECENOCRACIA (o poder da Cultura na Escola). Defino este novo conceito como sendo o conjunto de ações cívico-pedagógicas da Sociedade Civil condicionando e fortalecendo políticas públicas culturais com foco no protagonismo intelectual-comunitário e na criatividade coletivo-interativa partilhada como estratégias de construção dinâmica do Conhecimento e valorização dele para o empoderamento do Saber Crítico e autônomo dos Corpos Discente e Docente. No contexto da Mecenocracia, escolas e universidades públicas, gratuitas, democráticas e de qualidade deverão ser posicionadas enquanto espaços sociais mediadores da interlocução interdisciplinar e transdisciplinar entre Ciências, Artes, Tecnologia e Humanismo que instrumentalizem o Desenvolvimento Sustentável de forma justa, igualitária e ambientalmente equilibrada.
MECENOCRACIA INTERCULTURAL é tudo isso e, especificamente, o poder de influência não etnocêntrica de Culturas Regionais não globalizadas sobre didáticas críticas que construam projetos político-pedagógicos com ênfase em processos de ensino-aprendizagem que priorizem a universalização diversificada de Saberes Locais, e evoque a historicidade da Identidade Étnica Multicultural Nacional sem preconceitos de cor, credo, ideologia e gênero.



Nenhum comentário: