sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

CONSELHO DO PATRIMÔNIO CULTURAL DE PLANALTINA-DF

ATO DE DESAGRAVO ACADÊMICO AO EDUCADOR E HISTORIADOR MÁRIO CASTRO, APROVADO POR UNANIMIDADE NA ASSEMBLEIA GERAL ACADÊMICA DE 18/2/17, PARA SER LIDO NA PRÓXIMA REUNIÃO DO CONSELHO DO PATRIMÔNIO CULTURAL DE PLANALTINA-DF**

À ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE PLANALTINA;
Ao Ilmº. Sr. Prof. Nilvan Vasconcelos,
D.D. Presidente do Conselho do Patrimônio Cultural de Planaltina-DF;
Brasília – DF.

A ACADEMIA PLANALTINENSE DE LETRAS – APL, Entidade Cultural sem fins lucrativos, criada e funcionando nesta cidade desde 1998, atualmente com 24 escritores associados, CONSIDERANDO AS INFORMAÇÕES ABAIXO:
      I.          Que o escritor Mário César de Sousa Castro, (...), é Diretor Cultural e de Comunicação Institucional de nossa Entidade, e que desempenha seu cargo administrativo com lisura e respeito, e goza entre nós de total confiança e admiração pelo excelente trabalho que já fez e faz em defesa da preservação do Patrimônio Cultural de Planaltina, sendo ele reconhecido regionalmente dentro e fora do DF por diversos pesquisadores renomados como Paulo Bertran e outros, como um dos mais sérios cientistas sociais focados nos estudos do Planalto Central do Brasil;
   II.          Que diante de seu respeitado currículo acima citado que atesta, sem nenhuma dúvida, sua capacidade intelectual como Comissário Técnico de Patrimônio Imaterial neste CONSELHO DO PATRIMÔNIO CULTURAL DE PLANALTINA, e suas virtudes de natureza moral, e que tudo isso junto o credencia a exigir respeito à sua biografia e à sua trajetória como Educador e Historiador de Planaltina, independente de alguém concordar ou não com o enfoque de suas pesquisas;
III.           Que esta Entidade tomou conhecimento informal de GRAVÍSSIMAS OFENSAS MORAIS À HONRA E A DIGNIDADE DO HISTORIADOR MÁRIO CASTRO, que é nosso dirigente, e que ele SENTIU-SE DESTRATADO DE FORMA DEPRIMENTE na última reunião, em 2016, do CONSELHO DO PATRIMÔNIO CULTURAL DE PLANALTINA, e que isto provocou indignação coletiva entre os nossos associados;
IV.          Que o CONSELHO DO PATRIMÔNIO CULTURAL DE PLANALTINA, que tem sido conduzido pelo seu Presidente, Prof. NILVAN VASCONCELOS, com total lisura, retidão, firmeza ético-política nos pronunciamentos públicos e deliberativos em defesa dos Bens Patrimoniais de nossa cidade, que esta entidade entende que assim deve ser o comportamento de todos os conselheiros desta instância.

Diante do exposto, solicitamos da Presidência do referido CONSELHO:
A.   Que este ATO DE DESAGRAVO ACADÊMICO AO EDUCADOR E HISTORIADOR MÁRIO CASTRO SEJA LIDO NA PRÓXIMA REUNIÃO DO CONSELHO DO PATRIMÔNIO CULTURAL DE PLANALTINA-DF, e que tal manifestação desta entidade conste em ata;
B.   Que se registre também na mesma ata que esta entidade reconhece este CONSELHO DO PATRIMÔNIO CULTURAL DE PLANALTINA como instância deliberativa valiosa e indispensável, e que, por isso mesmo, faz aqui UM APELO PÚBLICO-INSTITUCIONAL por sua continuidade em parceria com as Entidades da Sociedade Civil Locais, e apela para que o Professor MÁRIO CASTRO permaneça sendo titular dando sua contribuição relevante à cultura de nossa cidade.

Planaltina-DF, Sessão Acadêmica de Sábado, 18 de fevereiro de 2017.

XIKO MENDES, Presidente da APL.

Nenhum comentário: