sábado, 18 de fevereiro de 2017

Jornal PLANALTINA EM LETRAS (texto para edição trimestral de março de 2017).

DF COMEMORA 60 ANOS EM 2017

Historiador Xiko Mendes
(Da Academia Planaltinense de Letras, ALANEG, ALNM, ANE e ALAP).

Como todos sabem, a mudança da capital federal era sonho antigo. Projeto concebido e repensado várias vezes desde o Tratado de Madri em 1750 quando o cartógrafo Francisco Tossi Colombina fez o primeiro mapa do Planalto Central para fixar as fronteiras entre Portugal e Espanha na América do Sul. Em 1823 José Bonifácio de Andrada sugeriu que Paracatu (que seria renomeada como Brasília) seria a sede da Nova Capital do Brasil. Em 1849 o historiador e diplomata Francisco Adolpho de Varnhagem (Visconde de Porto Seguro) editou sua primeira versão do “Memorial Orgânico” propondo construir Imperatória (este era o nome sugerido para a capital). Ele foi o primeiro que propôs de forma clara a localização da Capital aqui no Planalto Central. Em 1877 o dito Visconde passou todo o primeiro semestre daquele ano em Formosa-GO visitando as ditas terras planaltinas. No mesmo ano publicou em Viena na Áustria (onde era embaixador de nosso país), o livro “A Questão da Capital: Marítima ou no Interior?”. Neste livro defende com ardor que a Capital fosse edificada na atual região das Águas Emendadas (no meio das três bacias: Platina, Sanfranciscana e Amazônica), isto é, no meio entre a Lagoa Feia (Formosa), a Lagoa Formosa (em Planaltina-GO) e Lagoa Mestre d’Armas (em Planaltina-DF, hoje dentro da Estação Ecológica Águas Emendadas).
Quinze anos depois, em 5 de maio de 1892 chegava a Planaltina-DF, Pirenópolis, Formosa e Luziânia, os cientistas da Missão Cruls, para estudar e identificar o território do futuro DF conforme determinava o artigo 3º da Constituição Federal de 1891 (projeto de autoria do deputado catarinense Lauro Müller e subscrito por 90 constituintes). Em 17 de maio de 1894 era finalmente concluído o Relatório da Missão Cruls. Outros tantos relatórios foram feitos. Em 7 de setembro de 1922 – Centenário da Independência do Brasil – foi inaugurada em Planaltina (hoje DF), a construção do obelisco “Pedra Fundamental da Futura Capital dos Estados Unidos do Brasil” (projeto de autoria dos deputados Americano do Brasil e Rodrigues Machado).
Em 18 de fevereiro de 1957 – há exatos 60 anos – a Comissão chefiada por Dr. Ernesto Silva (depois Dirigente da NOVACAP – Companhia Urbanizadora da Nova Capital), encerrou o trabalho de medição das terras goianas no espaço demarcado para ser o Distrito Federal. A escrituração pública das terras deu-se neste dia histórico quando Goiás transferiu para a União (governo federal) a área onde hoje está Brasília-DF. Foram medidos 30.933,759 alqueires geométricos para constituir o território de 5.814 KM2, formando assim o nosso Distrito Federal.
Finalmente, com a Lei Federal nº: 3.273, de 1º de outubro de 1957, ERA INSTITUCIONALIZADO O DISTRITO FEDERAL como Sede da União e tendo como único município: Brasília-DF. 

Nenhum comentário: